22/07/2019

Santa Maria Madalena

Santa Maria Madalena

Hoje, celebramos o dia de Santa Maria Madalena: uma pecadora pública (cf. Lc 7, 36-50) que, após testemunhar a misericórdia do Filho de Deus encarnado, converteu-se à fé e tornou-se uma profunda contemplativa.

Antes de sua conversão a Cristo, tendo-se abandonado à depravação de diversos homens, ela chegou ao ponto de ver-se atormentada de uma só vez por sete espíritos impuros (cf. Lc 8, 2). Mas, Madalena não deixa de ser imagem de uma alma que, sabendo-se pecadora, também sabe que foi feita para amar o Senhor não como uma simples seguidora, senão como noiva, como esposa — com aquele amor esponsal que aspira ardentemente à união, à intimidade. Por isso, ao contrário de Pedro e João, que perderam toda esperança diante do sepulcro vazio, Madalena permaneceu do lado de fora do túmulo, chorando lágrimas de devoção e de amor.

Ela seguiu Jesus até o Calvário e esteve diante do corpo falecido do Senhor. No domingo da Ressurreição, foi a primeira a ver o Cristo ressuscitado e teve a honra de ser enviada pelo Senhor para anunciar esta boa notícia aos discípulos.

 “Então, Jesus falou: ‘Maria!’ Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: ‘Rabûni!’ (que quer dizer: Mestre)” (Jo 20,16). A partir deste encontro com o Ressuscitado, Maria Madalena, discípula fiel, viveu uma vida de testemunho e de luta pela santidade.

Referindo-se a ela, Bento XVI expressou em 2006 que “a história de Maria Madalena recorda a todos uma verdade fundamental: discípulo de Cristo é aquele que, na experiência da debilidade humana, teve a humildade de lhe pedir ajuda, foi por Ele curado e se pôs no seu seguimento de perto, tornando-se testemunha do poder do seu amor misericordioso, mais forte do que o pecado e a morte”

Que a exemplo desta grande santa, também nós estejamos prontos para essa união transformante de nossa alma com Deus. Como esta Maria, devemos querê-lO e desejá-lO a todo custo.

Não nos contentemos com a consolação das criaturas, nem mesmo com a dos anjos, pois o nosso coração estará inquieto, atordoado, sem paz, enquanto não repousar nAquele por quem e para quem foi criado

Santa Maria Madalena, rogai por nós!