02/02/2020

Apresentação do Senhor: por que Deus quis fazer-se homem como nós?

Hoje celebramos a Festa da Apresentação do Senhor, que desejou se fazer homem como nós, para mostrar-nos o quanto nos ama e deseja estar conosco!

Neste dia, recordamos o encontro de Jesus com Simeão e Ana, o qual se entende como o encontro do Senhor com o seu povo. Naquela época, quando nascia o primogênito, era levado após quarenta dias ao Templo para sua apresentação, como descreve a Lei de Moisés.

“Este menino vai ser causa tanto de queda como de reerguimento para muitos em Israel. Ele será um sinal de contradição. Assim serão revelados os pensamentos de muitos corações. Quanto a ti, uma espada te traspassará a alma” (Lc 2,34-35).

Com todo o seu poder, o Senhor poderia nos amar e perdoar de maneiras mais fáceis, ou até mesmo com um simples estralar de dedos. Porém, a criatura humana, marcada pelo pecado original e as desordens que dele se seguiram, já não encontra forças em si mesma para confiar em Deus e acreditar no seu amor. Adão e Eva, ao escutarem os passos do Senhor no jardim ficaram assustados e cheios de desconfiança.

Deus quis assumir nossa condição mortal para mostrar-nos, nas dores de sua própria carne, a realidade de seu amor sem limites. A cruz do Senhor é a garantia mais firme de que somos muito amados. Nela encontramos esperança, força e vida!

Ao contemplarmos no dia de hoje o Menino Deus nos braços de Simeão, lembremo-nos que Ele nasceu para morrer, já que o motivo de toda a sua missão neste mundo foi amar-nos e ser imagem encarnada da caridade divina.

Celebramos também o dia da Vida Consagrada e louvamos a Deus pelas vidas que se apresentam a Ele, com confiança e humildade!

“À luz desta cena evangélica, a considerar a vida consagrada como um encontro com Cristo: é Ele que vem até nós, trazido por Maria e José, e somos nós que vamos até Ele, guiados pelo Espírito Santo. Mas no centro está Ele. É Ele que move tudo, é Ele que atrai ao Templo, à Igreja, onde podemos encontrá-lo, reconhecê-lo, recebê-lo e também abraçá-lo”. – Papa Francisco

Que Deus, brilhando por sua graça em nossos corações, dê-nos sempre a força de crer no amor manifestado na Cruz!