Dízimo, entenda porque ofertar

Ser dizimista não é uma obrigação do Cristão, como muitos pensam. É, antes, ser agradecido. Muitas são as bênçãos e graças com as quais Deus nos cumula no dia-a-dia. Tantas que nem sabemos mensurar, pois muitas delas nos passam despercebidas. O simples fato de acordar todas as manhãs já é uma graça de Deus.

Há muitas maneiras de sermos gratos a Deus por tantos benefícios, entre elas por meio da oração e pelo “ser comunidade”. Ser comunidade? Sim! Ser comunidade, ser Igreja. Ser Igreja é viver as realidades da paróquia, não apenas participando da santa Missa ou dos encontros de oração, mas participar de suas ações, cuidar da casa de Deus. Como? Sendo dizimista.

Ser dizimista é ser Igreja

Como já dissemos, o dízimo não é puramente uma obrigação. Dízimo é um gesto de partilha que brota de um coração agradecido, do um coração generoso de alguém que experimentou o amor de Deus. E são muitos os benefícios que alcançamos, além das bênçãos diárias, quando, conscientes da importância do dízimo, deixamos a inércia e passamos à ação. E, quer saber do mais?! É visível na vida de um cristão quando ele é dizimista – quando ele é Igreja. Um dizimista tem suas particularidades. Normalmente é alguém que tem desenvolvido um sentido de pertença àquela comunidade, alguém que se importa com questões básicas e práticas que dizem respeito à rotina paroquial.

A experiência de ofertar o dízimo nos proporciona elementos que fortalecem nossa fé e caminhada espiritual. Uma das características de um dizimista é a ilimitada confiança na Divina Providência – oferto para Deus o que tenho porque tudo é dele, confio que Ele não me deixará faltar o que necessito. E também porque sou grato! –. O dizimista consegue até mesmo organizar melhor suas finanças, pois, antes de ofertar o dízimo, planeja o orçamento doméstico para que, assim, cada coisa se estabeleça em seu devido lugar.

O dízimo liberta do egoísmo 

O dizimista não olha apenas para si, para os seus problemas, ele é preocupado com o sofrimento do outro, já que o dízimo proporciona assistência aos pobres. E essa é uma das dimensões da oferta: o dízimo se torna alimento para o faminto, remédio para o doente. Além disso, existe a dimensão da evangelização, para que outras pessoas tenham um encontro com o amor de Deus.

Por fim, assim como ajudamos nossos familiares, pais, irmãos, avós, e a quem mais necessita, o dizimista, pela sua contribuição, está cuidando da sua família comunitária, pois, em Deus, todos somos família. Assim como cuidamos para que nossa casa esteja confortável para a família, assim também o dizimista cuida para que a igreja – Casa de Deus, nossa casa – esteja bem cuidada para bem receber seus filhos.

Seja um dizimista!

 

compartilhar

Posts Recomendados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *