Campanha de Restauração dos Vitrais

A Paróquia de Santo Antônio da Barra Funda, que nesse ano completa 104 anos de existência, lançou uma campanha para restaurar os vitrais de sua igreja atual, inaugurada em 22 de março de 1980, com missa celebrada pelo cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, então arcebispo de São Paulo.

Décimo-quarto pároco da Paróquia de Santo Antônio da Barra Funda, criada 1914, o Padre Luiz Cláudio Braga afirma que tais obras são importantíssimas para se evitar a perda de valoroso patrimônio histórico do famoso bairro paulistano, pois se os vidros dos vitrais, pela idade, foram fabricados no Brasil, há que se destacar o fato de terem sido “soprados” por vidreiros europeus.

Padre Luiz Cláudio pede a quem deseja colaborar com a campanha que compareça à secretaria da Paróquia, na Rua Cônego Vicente Miguel Marino421, na Barra Funda, de terça a sexta-feira, das 8h às 18h, e, aos sábados, das 8h ao meio-dia. Doações também podem ser feitas em nome da Mitra Arquidiocesana de São Paulo, no banco Bradescoagência 1441/9conta corrente 2972/6, CNPJ 63.089.825/0022-79.

 

Primeira Igreja

NASCE A PARÓQUIA Depois de ficar algum tempo como capela ligada à Paróquia de Santa Cecília, em 2 de fevereiro de 1914, a Paróquia da Barra Funda foi criada por Dom Duarte Leopoldo e Silva, então arcebispo de São Paulo, tendo Santo Antônio como padroeiro. No dia seguinte foi nomeado o seu primeiro pároco, padre José Mario Fernandes.
Em maio de 1953, seria nomeado pároco o padre Vicente Miguel Marino, que mais tarde se tornaria cônego e que dirigiu a comunidade da Paróquia de Santo Antônio da Barra Funda por 40 anos. Entre outras obras, ele construiu perto da igreja um prédio de seis andares onde funcionou um centro social.NASCE A PARÓQUIA Depois de ficar algum tempo como capela ligada à Paróquia de Santa Cecília, em 2 de fevereiro de 1914, a Paróquia da Barra Funda foi criada por Dom Duarte Leopoldo e Silva, então arcebispo de São Paulo, tendo Santo Antônio como padroeiro. No dia seguinte foi nomeado o seu primeiro pároco, padre José Mario Fernandes. Por entender que a igreja se tornara pequena, ele ordenou sua demolição, iniciando-se em 20 de julho de 1972 a construção da atual, inaugurada em 1980.

ARCO DA ALIANÇA A restauração dos históricos vitrais da paróquia será feita pela Santa Maria Soluções, um ateliê de São Bernardo do Campo integrado por Marcelo Lucio e Victor Manuel Hidalgo Bustamante.

De acordo com Marcelo Lucio, a Paróquia de Santo Antônio da Barra Funda é um ícone, pois marca o começo da construção de igrejas em concreto.

“O projeto idealizado pelo cônego Vicente Miguel Marino simboliza a nova aliança de Deus com a Terra e ressalta a importância dos apóstolos para a Igreja Católica”, explica Marcelo. “A aliança de Deus com os homens, através de Noé é representada pelos vitrais. ‘O meu arco tenho posto nas nuvens; este será por sinal da aliança entre mim e a terra’, diz o Gênesis em 9:13.  Já os apóstolos são as 12 colunas da igreja, que sustentam os arcos em vitral, a aliança de Deus com os homens”.

VIDREIROS EUROPEUS Segundo o restaurador, pela idade, os vitrais foram fabricados no Brasil, porém, são vidros soprados e feitos por vidreiros europeus.

“Todos os vitrais apresentam abaulamento. Isso acontece por causa da massa de vidraceiro que é usada para calafetação: ela endurece e não permite a movimentação do vitral.  O abaulamento é causado também pela perde de resistência do chumbo usado para unir os pedaços de vidro”, afirma Marcelo, lembrando que há também vidros quebrados e até um furo no vitral da fachada da igreja, que traz a imagem de Santo Antônio.

A restauração será realizada em duas etapas principais.

1) Retirada dos vitrais: montagem dos balancins, catalogação e retirada dos vitrais, colocação dos vidros de proteção. Os vitrais são embalados e levados a nossa oficina, onde serão colocados em um banho químico por alguns dias e será feito o desmonte, as peças de vidro serão limpas e estarão prontas para montagem com o perfil de chumbo.

2) Colocação dos vitrais: montagem dos balancins, retirada dos vidros de proteção e a colocação dos vitrais junto com os vidros de proteção.

Alguns vidros estão quebrados

CURRÍCULO DE RESPEITO Marcelo Lucio começou a atuar na profissão em 2002, como empregado do Atelier Artístico Sarasá, de São Bernardo do Campo.

“Nesse ateliê conheci Victor, que é chileno, e fazia todo tipo de serviço no Sarasá. Eu já pintava quadros e, com a ajuda dele, passei a pintar vidros. Passamos a trabalhar juntos, eu desenhava e escolhia as cores dos vidros e ele cortava, passava os vidros cortados para mim e eu os pintava. Com o passar dos anos, vimos que podíamos fazer melhoras na fabricação e restauro dos vitrais”, relembra Marcelo Lucio.


Um furo no vitral de Santo Antônio

“Nesse ateliê, realizamos importantes obras, dentre elas o restauro da Catedral da Sé, do Mercado Municipal de São Paulo e da Fio Cruz no Rio de Janeiro. Já em 2009, fui chamado para coordenar o ateliê de vitrais dos Arautos do Evangelho, e levei o Victor comigo. Lá trabalhamos por um ano e meio. Aí então decidimos montar a nossa própria empresa”, conta.

“O nome inicial, Oficina Santa Maria Vitrais, surgiu pelo fato de eu ser muito agradecido a Nossa Senhora. Foi assim que demos início a nossa vida de empreendedores. Hoje a empresa Oficina Santa Maria Vitrais, que era voltada apenas para fabricação e restauro de vitrais, virou a Santa Maria Soluções, voltada a diagnosticar e resolver todos os problemas de dioceses, paróquias ou capelas. Trabalhamos com projetos arquitetônicos, projetos de engenharia civil e elétrica, automação, serralheria, sonorização, pintura, alvenaria, ar-condicionado, em meio a outras atividades. Em resumo: nossa proposta é solucionar problemas”, completa Marcelo.

Matéria por: http://www.barranewssp.com/2018/03/campanha-para-restaurar-vitrais-da.html

compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *